Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2007

Frase do dia

Cada novo dia nos repete: espere o impossível, faça o possível.

Goëthe

publicado por raiodemundo às 12:13
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 25 de Fevereiro de 2007

Frase do dia

Um dos grandes problemas da vida é entrar em relacionamentos
com a fantasia de ser protegido ou cuidado.
Esperar que um namorado a proteja da necessidade de ser uma
pessoa real é um risco.
Se ele fracassa, você fica amargamente desapontada.
Pior ainda se ele consegue: você não será ninguém!
Carl Whitaker

publicado por raiodemundo às 12:57
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2007

A ciência consegue novo milagre

Frase do dia

 

Tal como o espaço vazio numa pintura,
o tempo em que nada acontece tem seu propósito.
Edward de Bono

 

Diz o primeiro-ministro que na nova lei vai encaminhar as mulheres para um serviço para que não haja reincidência em numa IVG, dando instrução sobre planeamento ou seja sobre contraceptivos, eu pergunto: porque não deram tal instrução antes dela engravidar, na comunicação social, nas escolas, enfim mil maneiras, para que não sejam burras. Que o aborto não é um contraceptivo.

 

Ora vejam a recente noticia, um verdadeiro milagre, mas prova como lidamos com vida humana uterina, não é apenas com a passagem para o exterior que vira gente. E pensar que eatados permitem o aborto  nestas idades, um  homicidio legal.

 

PortugalDiário:

 

Amillia nasceu dia 24 de Outubro de 2006, com 24 centímetros e 283 gramas. É o primeiro bebé a sobreviver depois de uma gravidez de menos de 23 semanas, mas médicos dizem que vai poder ter uma vida igual a qualquer outra criança

 

Uma bebé prematura, que passou menos tempo no útero do que qualquer outra criança, vai receber alta de um hospital na Florida, nos próximos dias, noticia a cadeia de televisão norte-americana ABC.

A bebé, Amillia Sonja Taylor, media apenas 24 centímetros e pesava menos de 283 gramas quando nasceu às 21 semanas e seis dias, do dia 24 de Outubro de 2006. Em regra as gravidezes normais decorrem entre 37 e 40 semanas.

No início os médicos não estavam muito optimistas, mas a bebé provou-lhes que estavam errados. Os pediatras que cuidaram de Amillia dizem que ela é o primeiro bebé a sobreviver depois de uma gestação de menos de 23 semanas.

Antes do seu nascimento, apenas sete bebés nasceram às 23 semanas, entre 1994 e 2003, revelam dados estatísticos do departamento pediátrico da Universidade do Iowa.

Devido à prematuridade dos órgãos, a bebé teve de lidar desde o nascimento com problemas respiratórios, uma leve hemorragia cerebral e algumas complicações digestivas, mas nenhum destes problemas de saúde é tido como motivo para desenvolver complicações futuras, dizem os neonatologistas da ala pediátrica que salvou Amillia.

Prognóstico é positivo

Desde que nasceu Amillia passou os dias numa incubadora a receber oxigénio e vai continuar a receber uma pequena quantidade do mesmo quando sair dos hospital, como forma de ajudar a monitorizar a respiração.

A pequena bebé que veio ao mundo com apenas algumas gramas pesa agora 2 quilos e mede cerca de 66 centímetros.

Os médicos do Baptist Childrens Hospital, onde a bebé esteve desde que nasceu, afirmam que, apesar de ter nascido muito antes do tempo e lidado com todas as questões provenientes da sua extrema prematuridade, no futuro Amillia vai poder ter um berço de tamanho normal, usufruir de hábitos alimentares normais e viver como qualquer outra criança.

sinto-me:
publicado por raiodemundo às 23:56
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2007

Carnaval

Finalmente Carnaval já era. É incrível como nesta época de "tristes espectáculos" entre parvos, parvoíces, parvalhonas, e outros «parv…» existe sempre quem se veste de «mulher», é algum instinto panasca reprimido que com a desculpa de época tentam satisfazer.

sinto-me:
tags:
publicado por raiodemundo às 10:26
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Fevereiro de 2007

Polêmica continua

Polêmica continua, porque este tema não é como outros de meras discussões sociais, económicas, politicas ou desportivas. É a vida.
Polémica continua, ainda hoje tema do Fórum da TSF, há quem se ache enganado.

Revelado hoje nos jornais estudo da Marktest revela que por freguesias a maioria votou Não (3583)

Sim em 1998 e Não em 2007 (16)

Não em 1998 e Sim em 2007 (613)

Não em 1998 e em 2007 (2526)

Sim em 1998 e em 2007 (1057)

Freguesias criadas após 1998 (48)

Interessante, saber como seria constituído o parlamento, se houvesse só um circulo eleitoral, em vez dos círculos por distritos e regiões autónomas.

Mas falando em morte e vida gostaria de saber qual a opinião dos Sim de quando é que acaba a vida no casos das pessoas que estão em coma? Se é pelos sinais cerebrais, porque não utilizam, o mesmo para reconhecer o começo da vida!

In Expresso pág.10 e11 27jan07sáb

Cientistas discordam sobre o início da vida


Ordem dos Médicos vai

reunir especialistas, mas já

há urna conclusão:

a ciência não tem respostas

para questões filosóficas

    'Quando começa a vida humana?' é a pergunta à qual 21 especialistas portugueses e estrangeiros vão tentar responder a convite da Ordem dos Médicos (OM). O seminário, sexta e sábado, pretende ser um contributo ao debate sobre o aborto, mas não deverá conseguir ajudar muito: os cientistas estão tão divididos quanto a opinião pública.

    Há muitas teorias, mas os médicos que falaram ao Expresso são unânimes num argumento: "A única coisa de que podemos ter a certeza é que a vida humana é um contínuo", garante o presidente do Colégio de Genética da OM, Jorge Sequeiros. O médico salienta que "a ciência não tem resposta para questões filosóficas", no entanto recorre a critérios. E Jorge Sequeiros dá um exemplo: "O sistema nervoso central - que nos separa das outras espécies, por permitir a racionalidade, por exemplo - tem sido utilizado para definir a morte e pode ser usado para o início da vida".

Outros médicos contestam este tipo de balizagem. "Na realidade actual até podemos definir metas, mas daqui a dez ou 20 anos podem estar completamen- te ultrapassadas", diz o vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Ginecologia, António Pereira Coelho. "Muitas vezes somos obrigados a destruir vida em nome da vida" e esta é uma experiência que diz ser suficiente para provar que nem sempre podem existir juizos fixos. A mesma linha de pensamento é partilhada pelo professor catedrático de genética José Rueff Tavares. "Temos muita dificuldade, salvo raras excepções, nas ciências biológicas em prever o momento seguinte". Ainda assim, Rueff Tavares defende que "o indivíduo é-o quando recebe a sua individualidade genética, e isso acontece quando se pode dizer que há fecundação". E acrescenta até: "Não tenho qualquer dúvida de que quando aquela célula se forma já lá estão os genes do pai e da mãe e aqui é indelé- vel que não somos diferentes em adultos do que somos naquele momento".

       Professor catedrático jubilado de medicina, Daniel Serrão é pe- remptório: "Nenhum aspecto do desenvolvimento contínuo do embljão, ao longo do tempo, é mais importante que o anterior ou o seguinte". A filosofia pode ter outra interpretação, mas "do ponto de vista biológico não é o tempo de desenvolvimento que define ou comprova a natureza humana de um feto em desenvolvimento. É o seu pa- trimónio genético especificamente humano, recebido de outros dois seres humanos", diz.

Cada especialidade médica tem um entendimento, e é por isso que os cientistas também divergem quando opinam sobre quando começa a vida. Para a óptica neurológica acontece quando há funções cerebrais su- periores (perto das 26 semanas de gestação), para a biologia se existem as células que vão formar o sistema nervoso (menos de 12 semanas) e para a genética perante o genoma humano (após a fecundação).

 

VERA LUCIA ARREIGOSO

varreigoso@expresso.pt

sinto-me:
publicado por raiodemundo às 12:08
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 14 de Fevereiro de 2007

Resposta a comentário

Mau perder não, fico fulo é como num valor tão importante como o respeito pela vida, é desprezado por simples conveniência, ignoram ou não querem saber que a vida começa bem mais cedo que o simples momento em que as mães parem os seus filhos, isso é apenas mais uma etapa na evolução da vida. Um feto ou um embrião não é um órgão dos seus corpos, é uma vida em simbiose que cresce dentro de si.

É isso que deixa perplexo como não enxergam o seu erro.

Razões como a pobreza têm que ser respondidas por outras maneiras; desenvolvimento geral do país, apoio da segurança social (já agora como gostam muito, utilizem o exemplo dos outros países neste campo, como aqueles nórdico preocupados com o decréscimo de suas populações estão a dar a cartadas no problema), ou permitir que possam ser adoptados (outro problema burocrático de incompetência politica que o estado têm de resolver para que crianças não estejam tanto tempo nos orfanatos), ou seja não é a morte.

Mas os exemplos que vêem dos países que liberalizaram o aborto, é que o mesmo é usado como contraceptivo. Portanto muitos dos argumentos que o Sim usava, só me deixavam irritado, eram histórias da carochinhas para parvos engolirem.

Se é por ignorância que aprendam, pois é livre tal informação, pelo menos duma vez por todas que a educação sexual nas escolas se realize.

Impostos é claro que o estado gasta e gasta muito mal, imenso dinheiro dos contribuintes, como foi na construção dos estádios de futebol, que agora dão prejuízos em alguns municípios, nas viagens inúteis dos politiqueiros que se acham as mentes clarividentes do país só porque pousaram para a fotografia com VIP`s e mais exemplos se podiam apontar.

Mas quem “ganhou” neste referendo foi o «nim» das abstenções, pessoas que não foram capazes de se pronunciar, ou não quiseram. Como li num jornal: “Arriscamo-nos a transformar-nos num país de apáticos governados por uma minoria de pretenciosos que derramam todos dias sobre a cabeça dos portugueses uma sabedoria que não têm” (in José Júdice)

sinto-me:
publicado por raiodemundo às 23:18
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 13 de Fevereiro de 2007

Como os dados contradizem

Já passou o referendo, mas fica mais um apontamento; saiu num jornal hoje a seguinte noticia:

REINO UNIDO Segundo sondagem, uma em cada dez britânicas, dos 26 aos 34 anos, abortou dentro de uma relação estável. Das que abortaram, 27% engravidaram por se terem esquecido de tomar a pílulas e 20% por não usarem contraceptivos.

Ainda querem “cantar” a estória de que as mulheres não fazem abortos por gosto, é claro que é por estupidez, e quem paga é o Zé-contribuinte. Só quem quer ser uma mula não vê os factos que atingem os outros estados que entraram por este caminho, e faz como as mulas com palas que só enxerga para um dos lados.

Mas enfim, é o raio de mundo que temos.
sinto-me:
publicado por raiodemundo às 11:55
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2007

Ainda actual

«Como é possível esperar que a humanidade ouça conselhos, se nem sequer ouve as advertências»

 

Jonathan Swift, Escritor irlandês (1667-1745)

 

Ainda actual

sinto-me:
publicado por raiodemundo às 12:05
link do post | comentar | favorito
|

Triste dia 11 de Fevereiro = 11 de Setembro hecatombe.

Triste dia 11 de Fevereiro = 11 de Setembro hecatombe.

 

Com um mal querer curar um outro.

 

Não é com a morte que se “cura” a pobreza, as dificuldades para criar filhos, ou se livrar de filhos de pais indesejáveis de um encontro sexual de fim de semana, sem pensar em consequências.

Preocupam-se com a clandestinidade dos abortos; seguindo esse pensamento porque não legalizar as drogas, para acabar também com esse verdadeiro atentado á saúde pública e insegurança (pois esse argumento de que é um problema de “saúde publica” não me ”entra”), ou mesmo legalizar outros crimes, assim deixariam de o ser e poupava-se muito trabalho e dinheiro nos tribunais atolados e nas policias.

 

Se isto é “entrar no século XXI e na Europa”, esta Europa não me interessa.

 

Mas triste é os nossos políticos parecerem uns macacos de imitação sempre prontos a querer compara-se com exemplos de outros países (incluso em querer ganhar tanto como os outros e parecerem uns lordes chupando o povo a que pouco se pode comparar), mas apenas os de seu interesse [que nisto á que ser como as mulas com palas para só verem um lado]. Os bons exemplos não fazem eles. Pensar com as próprias cabeças (se é que as têm) e serem originais (numa época que a concorrência global assim o obriga) não o fazem.

 

Estou para ver o SNS com listas de espera, se em 10 semanas dá vazão á hecatombe, roubando vez a casos graves. Pois com ministros demagógicos que tudo prometem, mas pouco podem cumprir. Ainda me vou “rir” das palhaçadas que no futuro nos trarão.

 

Pelo menos uma coisa positiva, terá a lei, é que assim se ficará a saber publicamente quem é que faz esses extermínios e ficarão numa lista, para quando voltar-se a mudar a lei em futuro referendo espero dos Movimento de Não proponham daqui a 8 anos, nem que tenha-se de 8 a 8 anos andar de referendo em referendo, até se responder á principal pergunta: - Quando é que começa a vida?

sinto-me:
publicado por raiodemundo às 11:28
link do post | comentar | favorito
|

.Pesquisa

Google

.PubliGoogle

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Islã – A Ameaça Contempor...

. E porque não ?

. Para quando a mesma corag...

. Estado incentiva sequestr...

. Que justiça é esta?

. 2017

. Hollande está de parabéns

. Diferenças entre chefe e ...

. Roubar os filhos de outro...

. Feliz Natal 2016

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Julho 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.PubliGoogle

.tags

. todas as tags

.PubliGoogle

.BannerPublipt

.BannerClixSense

.subscrever feeds